sexta-feira, 31 de outubro de 2008

AUTO ESTIMA




A MULHER E A SUA AUTO ESTIMA 


O que é auto estima?
A auto estima é a opinião que temos de nós mesmos. É a imagem que temos de nós. Como nos vemos e como nos percebemos. Eu creio que a nossa auto estima é fruto da forma dos nossos relacionamento passados, como as pessoas nos trataram desde a nossa tenra idade. Pessoas importantes em nossas vidas: pais, irmãos, avós, tias, primas, amigas, professoras, chefes, namorados, marido, filhos.... Se recebemos amor, carinho, respeito, honra e apoio destas pessoas, é provável que tenhamos uma boa auto estima. Se aconteceu ao contrário, recebemos maus tratos, criticas, rejeições, gozações, violência, desonra, agressividade e renegados, podemos ter desenvolvido uma baixa auto estima. Nós mulheres sofremos muito com a baixa auto estima, porque fomos educadas e tratadas para sermos frágeis, que não podemos fazer algumas coisas que não aguentamos e recebemos influência de uma educação vindo da cultura da ditadura militar . A sociedade colocou padrões inatingíveis para as mulheres: tipo de corpo magro, rosto lindo, elegante e sensual. Esse padrão de beleza e biotipo, aprendemos desde nossa infância através das estórias infantis: A Bela adormecida, cinderela, branca de neve, dumbo, patinho feio e outras; da boneca Bárbie, das revistas de moda que mostram fotos de mulheres bonitas, magras e elegantes (apesar de estarem magras, abaixo do peso ideal e sofrerem e aneroxia e bulimia) e a Televisão com novelas exibindo a mulher ideal brasileira.

Quem nos cobra este padrão nos apresentado? Nossas mães, tias, avós, professoras, colegas e patrões. Desde cedo você sabe que as bonitas, magras, inteligentes e ricas terão tudo na vida e as feias, gordas e desengonçadas sofrerão um bocado nesta sociedade injusta. E nossa família começa com as criticas quando engordamos, comparações com nossas primas ou amigas mais bonitas e atraentes..... Que criança e adolescente aguenta receber tanta critica? Na escola, a classe já separa as bonitas das feias, as magras das gordas e as populares ganham tudo e as que sobram são as perdedoras. Que jovem aguenta receber piadas de defeitos, ser deixada de lado, ser mal falada? No trabalho, claro que as mulheres mais bonitas, magras, extorvertidas farão mais amizades, terão mais oportunidades. Que mulher adulta consegue ficar sem depremir com tantas criticas , rejeições e palavras negativas recebidas desde criança?

Como eu encarei a auto estima? Eu sofri criticas, comparações, rejeições, apelidos, palavras negativas em todas as fases da minha vida. Só na idade mais adulta soube trabalhar todas elas na minha mente e emoções. Graças a minha formação universitária de Serviço Social e na PUC, onde realmente aprendi as intensões reais da mídia em vender este padrão de beleza e do corpo esbelto: objetivo de vender, ganhar dinheiro e para poucos ficarem ricos a custa da insatisfação da mulher em não conseguir alcançar a meta imposta pelas industrias de beleza, divulgada pela mídia. Nesta época descobri que 10% das mulheres do mundo se aplicavam a este modelo visto e revisto, ouvido e sonhando durante toda minha vida. Que havia um markenting mentiroso por detrás desta farsa. E muitas mulheres caem nesta armadilha e sua auto estima cai junto. Depois mais tarde comecei a ler a Bíblia e conheci o padrão de beleza de Deus, o próprio criador da beleza. E descobri que tudo o que Ele cria e criou é bonito e o feio quem denominou foi a própria sociedade capitalista. Assim com a Palavra entrando nos meus pensamentos, minha mente mudou. Por consequência minha auto estima aumentou, curou minhas emoções e trouxe para a realidade o verdadeiro padrão que Deus tinha para minha vida. Mas é claro que tive que trabalhar o meu eu para que minha auto estima aumentasse e eu gostasse da minha pessoa como eu era
.
O que fiz para ajudar aumentar minha auto estima? Aceitando como eu sou. Parei de me comparar com outras mulheres. Entendendo que cada uma foi criada com um bio tipo diferente. Lembranado que cada mulher é um ser único, divina e especial. Fiz uma lista dos meus pontos fortes e dos meus fracos. Quanto aos pontos fortes da minha vida, dediquei a melhora-lhos. Quanto aos fracos, o que poderia eliminá-los, o fiz e os que não conseguia, deixei diminuir para que os altos fossem mais marcantes. Aprendi do que sou capaz de fazer e treinei-me nestas áreas, para ser boa no que tenho ou fui chamada a fazer. Comecei a tirar um tempo da minha agenda para cuidar da mente (ler e estudar), da alma (ter um tempo comigo mesma), corpo (tempo para exercícios, cabelereiro e dietas) , lazer ( fazer mais o que gosto e que me relaxava). Não dei mais ouvidos para criticas quanto ao meu corpo e feições. Não deixo mais me compararem com outras mulheres. Eu sou o que sou e ponto final. Comecei a olhar no espelho e me admirar e falar bem de mim mesmo. Pensar em coisas boas ao meu respeito. Escrever minhas qualidades na agenda e sempre ler. Acreditar nos elogios das pessoas e aceitar com prazer. Ouvir mais o meu marido que tem uma ótima auto estima e acreditar quando ele diz que me acha bonita, atraente e que gosta do meu jeito. Aceitar o amor de Deus por minha vida e gostar do que ele fez em mim. Nesta último ano fiz terapia. Ainda estou em trabalho....nunca termina cuidar da nossa auto estima.

Um comentário:

miri disse...

palavra maravilhosa. poderia ler várias vezes e ainda aprnder muita coisa ;)

=*

Marina - Uberlândia