sexta-feira, 24 de outubro de 2008

E AGORA FALTA BATURITÉ

FOTO DO SEMINÁRIO JESUÍTA DE BATURITÉ

Depois de 3 anos morando em Aratuba, mudamos para a cidade de Baturité, a porta do sertão cearense. O prefeito da época era o Clovim, esposo da Sivana, que ganhou as eleições agora. Mas eles são um só, trabalharam juntos e bem unidos. Então chefe do Tommy era o Clovim. Então ele foi o nosso prefeito e nosso partido político. Tivemos bom relacionamento com o casal e seus secretários.

Na época das eleições, deram um conselho a um paulista: "Tommy: Não se meta na política, pois você é um bom médico e não é um homem político." Tommy tentou seguir este conselho....mas não foi possível...Por que?

Nossa filha nasceu no Ceará, viveu em Aratuba até seus 3 anos e em Baturité entrou aos 4 anos na escola Salesianas. E lá na escola, no convívio com seus colegas, vivendo no meio dos jovens dos nossos projetos e com outras pessoas.......ela sim entendia de política e estava politizada.

Quando a campanha iniciou, ela nos pediu camiseta e o CD das músicas do Clovim e Tommy pediu para a Silvana. No dia seguinte uma moto taxo nos trouxe CDs e camisetas para Aninha e todos os jovens que moravam conosco.

Ela ouvia o Cd da campanha, todos os dias e bem alto no seu quarto, que dava para a estrada...todos que passavam ouviam...e logo diziam: "Dr Thomas é do partido do Clovim e claro que avisava a oposição".

Ela sempre vestia a camiseta, mesmo que do tamanho bem maior que o seu e saia na rua toda feliz.

Um dia pediu ao pai que queria muito uma bandeira e Tommy pegou uma moto táxi e foi no comitê eleitoral de pediu a bandeira e voltaram de moto, ela abanando a bandeira. Neste dia, Tommy chegou em casa e me disse: "Se o Clovim não ganhar as eleições vou perder o emprego".

Paramos então para analisar nossos procedimentos e vimos que estávamos corretos. Agora morávamos numa cultura que dá muita importância para política, nossa filha já estava toda politizada e nós tínhamos que mudar a nossa cultura e nos politizar.

A partir deste dia, íamos em todos os comícios, mais eu, com Aninha e os jovens, pois Tommy dava muito plantão.

Um dia, a associação dos pastores da cidade resolveu abençoar os candidatos. Tommy foi escolhido de falar com todos. A Silvana, esposa do prefeito foi a primeira a responder e muito bem respondido. Convidou todos os pastores com suas famílias para um super almoço no seu sítio e aí eles nos falaram do programa político e nós como pastores oramos e abençoamos o Clovim. Depois daquele almoço, duas vezes na passeata do Clóvim, nós estávamos na calçada, Aninha no ombro do Rafael, jovem que morava conosco, o Clóvim viu a Aninha, deu uma saída da passeata e beijou no seu rosto. Isto marcou minha filha: "O prefeito da minha cidade reconheceu-me e beijou-me". Aí que ela pegou fogo.....

No dia da eleição, ela foi comigo. Como morávamos no sítio e o rádio não estava pegando e não soubemos do resultado. Tommy estava de plantão em Aratuba. Peguei os jovens, nos vestimos com a camiseta amarela, pegamos a bandeira, entramos na minha F1000 e descemos para a cidade para a festa da vitória. Não vimos nenhuma bandeira e nem camiseta amarela....achamos estranho!!! Mas nós já estávamos comemorando e quando paramos numa esquina, uma amiga, do comitê do Clovim e bem ativa, disse para mim chorando:"perdemos"!!!!e depois acrescentou: " Carol você é louca, tirem todos estas camisas e leve os jovens para casa, pois a oposição está violenta e podem agredir vocês. Aqui no Ceará há muita violência na política. Nos deu até dica de um caminho mais escondido. Ficamos pasmos e voltamos em silêncio para casa. Desci do carro, os jovens entraram na casa de baixo e subi para minha casa e a Aninha entrou no seu quarto e começou a chorar muito. Fiquei sem saber o que fazer, telefonei ao Tommy e nem pelo telefone ele conseguiu consolá-la. Naquele dia ela dormiu chorando e muito triste.

Final da história, em Janeiro o Tommy perdeu seu emprego do PSF e teve que trabalhar em outra cidade, Guaramiranga.

Mas valeu, pois não decepcionamos nossa filha de 6 anos de idade, nem nossos jovens e nem a população. Aprendemos a sermos corretamente políticos e não se esconder atrás da moita. Este é um risco que corremos...mas estamos dispostos a servir nossa cidade com o trabalho de médico do Tommy e com nossa ONG . Vestiremos a camisa do programa de governo e estaremos servindo nossa cidade com nossos talentos, dons e serviço.

2 comentários:

Instumento de Vida disse...

Fico admirada com a influência que vcs deixam por onde passam.Que dom é esse de deixar marcas nas pessoas que conhecem.Como é bom fazer parte dessas pessoas que foram marcadas por sua fé,por seu amor a Deus......

Will disse...

Adorei Lembrar dessa historia de Baturité!!!
Realmente o Clóvim era nosso candidato a prefeito em Baturité sempre simpatizei com ele como prefeito lembro muito bem daquele momento politico que estavamos passado lá!!!!!
Bjs abraços e fica na paz!!!!!!!!!!!!!!!